Nesta sexta-feira (29) celebra-se o Dia da Visibilidade Trans, data marcada como ponto especial para o debate de assuntos que atravessam a vida desta população cotidianamente. Mesmo diante do avanço dos casos de Covid-19 em território mato-grossense, coletivos e iniciativas independentes se organizam para protagonizar ações voltadas para a troca de informação e experiências sobre o assunto. Entre podcasts, lives e exibições de filmes, o que não faltam são possibilidades para acompanhar e se inteirar sobre este movimento. 

Com o lema “onde trans fala e cis escuta”, o podcast “Escuta Trans” lançou no último domingo (24) um novo episódio marcando a retomada do projeto, que permanecia em hiato desde março de 2020. Abordando as vivências dos apresentadores durante a pandemia, o reencontro de Valentim Félix, Rodolfo Rodrigues, Vicente Tchalian e Esteban Rodrigues apontou o início de uma nova fase do programa, que vem produzindo desde novembro de 2019. 

Valentim, Vicente, Rodolfo e Esteban durante uma das gravações do Escuta Trans. | Foto: Reprodução

Contando com a participação de convidades especiais e indicações de outras produções que pautam principalmente a pluralidade transmasculina, o podcast deve lançar novos episódios em breve. Todos os episódios podem ser ouvidos gratuitamente em plataformas de áudio, como o Spotify. Para ouvir o último episódio basta clicar aqui, e para seguir o projeto nas redes sociais, clique aqui

Além do áudio, as artes visuais também terão espaço nesta sexta-feira (29), com a realização da 2° Celebração do Dia da Visibilidade Trans. Com uma programação exclusivamente online, o evento vai exibir uma série de produções audiovisuais protagonizadas por pessoas trans. O público poderá acompanhar cada um dos filmes a partir das 10h na página no Facebook do Cine Teatro Cuiabá.

Para o encerramento as multiartistas A Luisa Lamar, que também assina a produção do evento, e Lupita Amorim vão apresentar uma live, às 20h, comentando a programação exibida durante todo o dia. A transmissão contará ainda com apresentação musical de Cristopher Chaves e lançamento do curta mato-grossense “Origens”, dirigido por Anna Maria Moura, Bruna Leite, Jennifer Sabino & Rubia Bernasci (2020, 9′). 

O curta é inspirado no conto “Olhos D’água”, da escritora Conceição Evaristo. | Foto: Divulgação

Para Lamar esta segunda edição da Celebração é uma oportunidade de dialogar com pessoas trans que atuam em outras áreas. “Vamos dialogar com pessoas de outras áreas de atuação para falar sobre nossa diversidade de ser, porque somos diversas. Temos esse evento para lembrar isso para o mundo, que por vezes nos colocam em um lugar de ojeriza, na parte inferior da pirâmide, ou nos enaltece demais, nos tornando seres irreais. É um lembrete de que somos normais, estamos na luta, precisamos de emprego e de aliados que estejam na luta com a gente”, afirmou.

SEGUNDO ANO DE REALIZAÇÃO

Em 2020 a Celebração do Dia da Visibilidade Trans contou com apresentações especiais de artistas cuiabanas como Hend e Sophie, além da exibição do filme “Bixa Travesty”, protagonizado pela cantora, compositora e atriz, Linn da Quebrada. O Com_Texto esteve presente na edição e registrou todos os detalhes. Assista aqui.

Raphaely Luz durante ato de abertura da 1° Celebração da Visibilidade Trans em Cuiabá. O evento aconteceu em janeiro de 2020. | Foto: Com_Texto

Em 2021 a iniciativa conta com a parceria entre Cine Teatro Cuiabá (SECEL), Associação Brasileira de Estudos da Homocultura (ABEH), Luisa Lamar Produções, Podcast Escuta Trans, Rede Cineclubista de Mato Grosso (REC-MT) e Circuito de Festivais de Audiovisual de Cuiabá (Mostra de  Cinema Negro, Festival de Cinema Feminino Tudo Sobre Mulheres, CineCaos,  CINEMATO – Festival de Cinema de Cuiabá e MAUAL – Mostra de Audiovisual Universitário e Independente da América Latina). 

* Com informações da Assessoria